domingo, 26 de janeiro de 2014

A festa de Lourdes se aproxima.
Chegando a Lourdes como à casa materna

Basílica da Imaculada Conceição. A Gruta está embaixo, onde estão os fiéis.
Basílica da Imaculada Conceição. A Gruta está embaixo, onde estão os fiéis.
Chegando a Lourdes, um instinto misterioso conduz o neófito rumo à Gruta.

Os cartazes são inexistentes e desnecessários.

Os guardas são escassos e sem trabalho.

 A multidão é ordenada, composta e fervorosa. Tudo é pulcro e bem conservado.

Magotes de peregrinos convergem para o local das aparições. Uns rezam em grupo ou isoladamente, em voz alta ou baixa; outros cantam.

Ainda outros caminham em atitude recolhida, ou com ávida curiosidade, até o fulcro dessa unção que a tudo envolve maternalmente.

Não há algazarra nem pesado silêncio.Há uma plenitude de vida harmoniosa, impregnada de sobrenatural, que empolga.

quarta-feira, 22 de janeiro de 2014

1ª aparição: à procura de gravetos para suportar o frio

Uma das primeiras fotos da gruta das aparições. Pode se ver ainda as pedras que obstruiam o acesso e o córrego que deteve a Santa Bernadette
Uma das primeiras fotos da gruta das aparições, tirada em 1858.
Pode se ver ainda as pedras que obstruiam o acesso
e o córrego que deteve a Santa Bernadette

1ª aparição — quinta-feira, 11 de fevereiro

Todavia, naquele 11 de fevereiro de 1858 a luta pela vida continuou implacável.

O pai, Francisco, deitou-se entre esgotado e deprimido. O frio em Lourdes corta a pele como uma navalha e não havia lenha na lareira.

Bernadette prontificou-se a colher gravetos num bosque vizinho. Iria junto com umas amigas que também tinham necessidade. Louise, a mãe, não queria pois a saúde de Bernadette, que padecia de asma, andava fraca.

Porém, a necessidade e a insistência da filha levaram-na a aceitar. Aliás, Louise, ainda venderia uma parte daqueles gravetos e conseguiria fazer mais uma pobre sopa quente para o marido e os filhos naquela noite.

quarta-feira, 15 de janeiro de 2014

Israel pasmo: católica é objeto de um milagre

Teresa Daoud

 A cura do câncer, com fortes sinais de milagre, de Teresa Daoud – devota católica de nacionalidade israelense – abalou Israel, escreveu The Blaze.

Ela contou o caso todo ao Canal 2 de Israel, que também entrevistou seus médicos e analisou o caso clínico.

Teresa sofria de um câncer maligno na perna, o qual se desenvolvia rapidamente. Os médicos decidiram então amputar-lhe a perna.

A cirurgia foi adiada três vezes por razoes burocráticas. Ela interpretou os adiamentos como um sinal de que devia confiar mais na oração do que na intervenção médica.

O Dr. Jacob Bickels, chefe do Departamento de Oncologia Ortopédica do Hospital Ichilov, em Tel Aviv, disse: “Era claro para mim que ela ia morrer em pouco tempo. Ela é uma mulher instruída, inteligente, lúcida, e quando uma pessoa assim toma uma decisão sabendo bem das consequências, nós a respeitamos”.

quarta-feira, 8 de janeiro de 2014

O 68º milagre de Lourdes narrado pelo agraciado

Serge François perdeu quase totalmente a mobilidade na perna esquerda
Serge François consertava aparelhos de TV, mas em conseqüência de complicações post-operatórias e uma hérnia de disco perdeu quase totalmente a mobilidade na perna esquerda.

Em 2002, ele viajou a Lourdes, rezou na Gruta e bebeu água da fonte.

Na hora pareceu que nada tivesse acontecido, mas enquanto saia da área do santuário sentiu um calor na perna paralisada e imediatamente foi capaz de andar normalmente.

Ele voltou a Lourdes em 2003, relatou seu caso à Comissão Médica que iniciou o processo de estudo do ponto de vista científico.