quarta-feira, 25 de novembro de 2015

O que falou Santa Bernadette depois das aparições?

Na época, as fotos obrigavam a ficar quieto durante minutos. Para o Pe. Bernadou ela não punha a mesma cara das aparições. “Mas agora ela não está!”, respondeu a Santa.
Na época, as fotos obrigavam a ficar quieto durante minutos.
Para o Pe. Bernadou ela não punha a cara das aparições.
“Mas agora ela não está!”, respondeu a Santa.



28 de agosto

Ao abade de Fonteneau:

“Eu não o obrigo a acreditar em mim, mas não posso deixar de responder dizendo o que vi e ouvi”.

“Quer dizer, Bernadete, que a Virgem Santa lhe prometeu o céu e, por isso, você não precisa mais cuidar de sua alma?”.

“Oh, padre, eu só irei para o céu se me comportar como se deve”.


17 de novembro

Na gruta, depois do interrogatório da comissão eclesiástica:

“Estou muito cansada!”.


1859

Maio

Marie de Cornuijer-Lucinière a interroga a respeito dos segredos:

“Você os contaria ao Papa?”.

“Ele não precisa saber deles”.


quarta-feira, 18 de novembro de 2015

O que dizia Santa Bernadette quando falava com as pessoas?

Composição artística das aparições
Composição artística das aparições



Santa Bernadete não deixou quase nada escrito.

Mas os arquivos do convento de Saint-Gildard, em Nevers, onde viveu como irmã com o nome religioso Marie-Bernard, conservam as atas do processo canônico e os testemunhos reunidos naquela ocasião.

Os testemunhos foram recolhidos entre as religiosas e todos os que tiveram contato com ela, sobretudo nos anos que passou no convento, entre 1866 e 1879.

São lembranças, pequenos casos, episódios, respostas que ficaram impressas na memória dos interlocutores.

Desse material heterogêneo, o convento de Saint-Gildard, graças ao trabalho de pesquisa do Pe. René Laurentin, extraiu o conteúdo para um pequeno livro, publicado na França em 1978 com o título Bernadette disait... [“Bernadete dizia...”]

Reproduzimos a seguir uma pequena antologia de passagens do livro, da qual emerge a personalidade de Bernadete e sua maneira simples e profunda de viver a fé cristã.

Reproduzimos os testemunhos na ordem cronológica, a mesma usada pelo livro, mencionando em alguns casos o contexto do episódio descrito, para facilitar sua compreensão.

Lourdes 1858


1858

Janeiro

Quando Bernadette era pastorinha em Bartrès.

“Diga a meus pais que aqui eu fico triste. Quero voltar a Lourdes, para ir à escola e me preparar para a primeira comunhão”.

quarta-feira, 11 de novembro de 2015

Santa Bernadete e a Verdadeira Devoção à Santíssima Virgem

Notre Dame des Eaux, nos fundos do convento de St Gildard, Nevers. Segundo Santa Bernadette era a imagem que mais lhe fazia lembrar as aparições.
Notre Dame des Eaux, nos fundos do convento de St Gildard, Nevers.
Segundo Santa Bernadette era a imagem
que mais lhe fazia lembrar as aparições.



A respeito de Nossa Senhora de Lourdes, na biografia de Mons. Francis Trochu “Santa Bernadette Soubirous, a Vidente de Lourdes” (Ed. Herder, Barcelona, 1958, 2ª ed.), tiramos alguns dados que falam da devoção de Santa Bernadette a Nossa Senhora:

[Para Santa Bernadette] A devoção à Santíssima Virgem tinha que ser particularmente terna e particularmente filial.

Maria, seu ideal vivo, ocupava em seu coração um lugar muito próximo a Nosso Senhor, declarou sua enfermeira, Soror Marta (...).

Tinha que ouvi-la quando recitava a Ave-Maria! Que acento de piedade, especialmente quando pronunciava as palavras “pobres pecadores”.

Quando dizia “Minha Madre Celestial”, não podia dizer mais.

Alguém se atreveu a perguntar-lhe se a lembrança da aparição se tinha apagado em sua memória.

— “Apagado?” exclamou com tom de censura. “Oh, não, jamais”.

E levando sua mão direita sobre a fronte dizia:

— “Está aqui”.

quarta-feira, 4 de novembro de 2015

Maior milagre de Lourdes: a aceitação do sofrimento





Em Lourdes se verifica que Nossa Senhora dá ao doente uma tal conformidade com a doença, que eu nunca ouvi contar o caso de uma pessoa que esteve em Lourdes e não sendo curada se revoltasse.

Pelo contrário, as pessoas voltam enormemente resignadas, voltam satisfeitas de terem ido fazer sua visita a Lourdes, e verem outras que foram curadas.

E até casos numerosos de pessoas que vêm de longe, vêm da Índia, vêm da América, vêm sei lá de onde para serem curadas.

E, elas vendo ao lado outras que têm mais necessidade de serem curadas, pedem a Nossa Senhora isto: que eu não seja curado contanto que esse seja curado, e aquele seja curado.