domingo, 7 de dezembro de 2014

Imaculada Conceição: Santa Bernadette instrumento de Cristo para restaurar o mundo (S.S. Pio XII)



Continuação do post anterior: Há 160 anos foi proclamada a Imaculada Conceição: Santa Bernadette foi mensageira da confirmação do Céu


Simplicidade, candura, modéstia, inocência: são estas as qualidades que, com mais frequência, encontramos na pena e nos lábios de quase todas as pessoas que tiveram contato com a Santa, mesmo opositores.

E é preciso notar que são testemunhas independentes entre si, em épocas diversas, que quase nunca se conheceram.

Assim reza o Mandamento episcopal (18.1.1862) de Monsenhor Bertrand-Sévere Laurence, Bispo de Tarbes, a diocese onde se situa o local das aparições:

segunda-feira, 1 de dezembro de 2014

Há 160 anos foi proclamada a Imaculada Conceição: Santa Bernadette foi mensageira da confirmação do Céu

Santa Bernadette trouxe a mensagem celeste: "Eu sou a Imaculada Conceição"
Santa Bernadette trouxe a mensagem celeste:
"Eu sou a Imaculada Conceição"


Aproxima-se a grande festa da Imaculada Conceição tão intrinsecamente ligada a Lourdes e à missão de Santa Bernadette.

Com efeito, a grande revelação de Lourdes foi a confirmação da alegria do Céu com a proclamação do dogma da Imaculada Conceição feita pelo Bem-aventurado Papa Pio IX em 8 de Dezembro de 1854.

Portanto, neste 8 de dezembro se comemoram 160 anos dessa gaudiosa data.

Entretanto, as aparições de Nossa Senhora a Santa Bernadette Soubirous, em Lourdes, revestem-se de uma singularidade desconcertante à primeira vista, paradoxal mesmo.

É evidente que a Santíssima Virgem quis aparecer para transmitir uma mensagem, fazer um apelo.

Tudo, porém se passa como se fosse um favor espiritual de caráter privado para a vidente. Não há nenhuma revelação, nenhuma profecia, nenhuma mensagem pública a ser comunicada.

Missão a ser cumprida junto de outrem, a vidente só recebe uma: “Vá dizer aos padres que se construa aqui uma capela e que se venha em procissão”.

Santa Bernadette: espelho de Nossa Senhora

quarta-feira, 26 de novembro de 2014

Santa Bernadette: exemplo de desinteresse, alienação e holocausto

Luis Dufaur


Santa Bernadette e tantos outros santos morreram para que fôssemos desinteressados.

Para que tivéssemos uma vida espiritual em que procurássemos, mais do que o Céu para nós, a graça de amar desinteressadamente a Deus.

Não procurar o Céu para ser feliz no Céu, mas procurar o Céu porque Deus está lá e para amarmos desinteressadamente a Deus.

Antes de tudo e acima de tudo, colocando a nossa felicidade no Céu como uma coisa enormemente preciosa, mas secundária em comparação com a ideia de que nós vamos ver a Deus e vamos adorá-Lo.

De que vamos contemplar a glória dEle.

Então, exclusivamente para Ele. Que sejamos tais que também nós atuemos em nossa família de almas pelo exclusivo interesse da Causa católica.

Este é o perfeito holocausto, daquilo que tantos seguidores de Satanás chamariam de perfeita “alienação”.

quarta-feira, 12 de novembro de 2014

Santa Bernadette esquecida de todos

Luis Dufaur



Santa Bernadette antes de ser freira, era uma camponesa, com a expressão do olhar muito viva, com muita firmeza de ideias e de princípios na sua atitude.

Embora se visse que ela era uma pessoa quase iletrada e que não era capaz, portanto, de estruturar normalmente, correntemente, um princípio e o apresentar a quem quer que seja.

Ela tinha, por obra do Espírito Santo, o que têm tantas outras almas de condição modesta e que não tiveram os meios para estudar.

Ela tinha um verdadeiro conhecimento de certos princípios e uma heroica atitude de amor ofensivo e defensivo em relação a esses princípios.

Muito cedo aflorou nela a vocação religiosa.

Essa vocação a conduziu a uma congregação religiosa que têm uma casa na cidade de Nevers, que é a capital da zona chamada antigamente Nivernais.

Ela entrou nessa congregação onde, com intencionalidade das superioras, o trato dado a ela foi o seguinte:

Entenderam muito bem que se se conhecesse lá que Bernadette era a moça das aparições, ela seria o objeto da veneração e do entusiasmo de todas as pessoas no convento.

E ela ao invés de ter dentro do convento a vida sacrificada e dura que deve ser própria a quem segue a vocação religiosa, ela teria uma vida de bonequinha. Ela seria a bonequinha das outras freiras.

quarta-feira, 29 de outubro de 2014

Lourdes: elo das ininterruptas intervenções de Nossa Senhora

Nossa Senhora de Lourdes, na Gruta das aparições
Nossa Senhora de Lourdes, na Gruta das aparições
Luis Dufaur


As intervenções maternais de Nossa Senhora, cautas, desapercebidas aos sentidos humanos, formam uma só intervenção ininterrupta ao longo de toda a história da Igreja.

Porque se não fosse Ela nos ajudar continuamente, continuamente, sem interrupção, um minuto que Ela deixasse de agir nós virávamos poeira. Essa é a verdade.

A Providência costuma agir por meio de causas segundas.

Ela não age ostensivamente por meio de milagres, etc., a não ser em circunstâncias muito particulares.

Porém, em Lourdes nós encontramos milagres constantes.

Esta manifestação de milagres contínua, quase que diariamente, quotidianamente é um fato único na história da Igreja.

Às vezes, vários milagres por dia, atestados por certificados médicos, etc., etc., que ninguém ousa contestar.

Uma das grandes alegrias que eu tenho é a seguinte:

Lourdes é dos fatos mais resplandecentes da história da Igreja.

Aliás é uma concatenação esplendorosa e contínua de fatos magníficos da história da Igreja.

E Lourdes é tratada pelos adversários da Igreja exatamente como eles tratam a Igreja.

Quer dizer, ninguém ousa dizer que as curas de Lourdes não são verdadeiras.

quarta-feira, 15 de outubro de 2014

Santa Bernadette e a grandeza da Cruz

Nossa Senhora de La Salette
Nossa Senhora de La Salette
Luis Dufaur



Além de Lourdes, houve na França, no mesmo século XIX, uma outra grande aparição.

Essa aparição foi ocasião de uma mensagem que, em última análise, é mais rica de conteúdo do que as aparições de Lourdes.

Foi a mensagem de La Salette com seu famoso segredo para o Beato Papa Pio IX. LEIA MAIS SOBRE A MENSAGEM DE LA SALETTE

Melânia foi a camponesa a quem Nossa Senhora apareceu junto com o camponesinho Maximino.

Por que é que ela não é tão grande quanto Bernadette?

Ela recebeu uma visão maior, talvez, do que Bernadette.

É porque o que faz a grandeza da pessoa não é a grandeza da visão, mas a grandeza da Cruz.

Então, nós vemos uma pessoa que não é nada, que reconhece que não é nada, que toma esse nada que é e faz desse nada uma hóstia para oferecer a Nosso Senhor.

quarta-feira, 1 de outubro de 2014

Falta de fé nos milagres de Lourdes atrai castigos anunciados em Fátima

Pranto miraculoso de Nossa Senhora de Fátima  em New Orleans em 1972
Pranto miraculoso de Nossa Senhora de Fátima
em New Orleans em 1972
Por que esse mundo que duvida não vai à Lourdes ver? Por quê? Era obrigação de ir ver.

Não, eles não vão, porque eles têm medo de ver a verdade!

Um grande escritor francês que não tinha fé foi contratado para ir a Lourdes escrever um livro contra Lourdes.

Quando chegou a estação, assuntou um pouco o lugar e saiu fugido de Lourdes, porque ele teve uma tal convicção de que aquilo era milagroso que ele não quis escrever o livro para o qual estava contratado.

Mas os maiores milagres não convertem essa gente.

Consequência: se os milagres não convertem, o castigo é que tem que converter.

O raciocínio é extremamente lógico: é preciso que se convertam, porque Nosso Senhor prometeu que a Igreja não seria destruída, e se isso for para frente, vai ser destruída.

Se é preciso que se convertam, tem que ser ou por uma graça extraordinária, ou uma prova extraordinária, ou por meio de um castigo.

segunda-feira, 29 de setembro de 2014

A jovem carmelita que atingiu o mais alto píncaro da santidade


No dia 1º de outubro a Igreja celebra a festa de Santa Teresinha. Neste ano temos duas razões a mais para a celebração: o transcurso do 140º aniversário de seu nascimento e 90º de sua beatificação. 



Paulo Roberto Campos

Quem nunca ouviu falar de Santa Teresinha do Menino Jesus?(1)

A jovem carmelita francesa é uma das santas mais conhecidas e veneradas no mundo inteiro.

quarta-feira, 17 de setembro de 2014

Oração de Santa Bernadete pedindo a resignação na hora do abandono – 3

Santa Bernadette: corpo incorrupto em Nevers, França.
Santa Bernadette: corpo incorrupto em Nevers, França.
Luis Dufaur
Escritor, jornalista,
conferencista de
política internacional,
sócio do IPCO,
webmaster de
diversos blogs




Continuação do post anterior: Oração de Santa Bernadete pedindo a resignação na hora do abandono – 2

Humilhai-me, então quanto Vos aprouver, e consolai-me somente a fim de que eu possa sofrer e perseverar até à morte no sofrimento.
Ela não diz, por exemplo: “Mandai-me agora novas humilhações”.

Não, é quanto quiserdes.

Se quiserdes fazer cessar essas humilhações agora, está bem. Se quiserdes inundar-me de consolações agora, está bem.

Mas também se, de outro lado, Vós quereis me humilhar, na aparência quebrar-me, eu aceito, ó meu Deus. Eu sei que é Vossa mão que está dirigindo as coisas.

Como um maestro com sua batuta dirige os vários instrumentos musicais, assim as várias causas da minha desolação funcionam à maneira de uma orquestra de dores.

Às vezes Nosso Senhor manda outro fator que torna a dor mais viva, ou manda outra decepção.

quarta-feira, 3 de setembro de 2014

Oração de Santa Bernadete pedindo a resignação na hora do abandono – 2

Santa Bernadette, sendo velada
Santa Bernadette, sendo velada
Luis Dufaur
Escritor, jornalista,
conferencista de
política internacional,
sócio do IPCO,
webmaster de
diversos blogs




Continuação do post anterior: Oração de Santa Bernadete pedindo a resignação na hora do abandono – 2

Eu Vos conjuro, ó meu Deus, por Vossos desamparos, não que não me aflijais, mas que não me abandoneis na aflição, que me ensineis a procurar-Vos nela como o único consolador, que sustentais nela a minha fé, que nela fortifiqueis minha esperança, que purifiqueis nela o meu amor; concedei-me a graça de reconhecer nela a Vossa mão, e de não desejar nela outro consolador a não ser Vós.
É tão linda e tão cristalina essa súplica – aliás, se nós, por exemplo, colássemos aos pés de uma imagem de Nosso Senhor crucificado só essa súplica, sem o mais, já teria todo o sentido – que nem creio que seja necessário comentário.

Eu Vos conjuro, ó meu Deus,...
Eu Vos conjuro quer dizer Vos peço.

Eu Vos conjuro, ó meu Deus, por Vossos desamparos,...

quarta-feira, 20 de agosto de 2014

Oração de Santa Bernadete pedindo a resignação na hora do abandono – 1

Santa Bernadette Soubirous, Moret-sur-Loing.
Santa Bernadette Soubirous, Moret-sur-Loing.
Luis Dufaur
Escritor, jornalista,
conferencista de
política internacional,
sócio do IPCO,
webmaster de
diversos blogs




Santa Bernadette Soubirous sofreu a pior sensação de abandono: quando parece que a graça de Deus nos abandonou.

E ela deixou uma oração que nos ensina a receber bem essa provação por amor a Jesus na Sua Paixão:

A oração diz:

Ó Jesus desolado e ao mesmo tempo refúgio das almas desoladas, Vosso amor ensina-me que é de Vossos abandonos que devo haurir toda a força de que necessito para suportar os meus.
Aqui está a primeira ideia. Eu devo sofrer porque Jesus na Sua Paixão sofreu desolações, Ele se sentiu abandonado, Ele se sentiu incompreendido.

No momento, por exemplo, em que Ele disse: “Esse pão é verdadeiramente minha carne...”. Ele disse alguma coisa que fazia alusão à divindade dEle e à presença real dEle no Santíssimo Sacramento.

Naquela ocasião alguns O abandonaram. Ele então se voltou para os que ficavam e fez uma pergunta, onde aparece toda a dor da desolação por causa daqueles que O tinham abandonado: “E vós também me abandonais?”

São Pedro então teve essa resposta magnífica: “Para onde iremos, Senhor, se só Vós tendes palavras de vida eterna?”

quarta-feira, 6 de agosto de 2014

As lições espirituais das aparições – 2. S.S. Pio XII

S.S. Pio XII
S.S. Pio XII

Conclusão do post anterior

17. Ora, o mundo, que tantos e tão justos motivos de ufania e de esperança oferece nos nossos dias, conhece também uma terrível tentação de materialismo, muitas vezes denunciada pelos nossos predecessores e por nós mesmos.

Esse materialismo não está somente na filosofia condenada que preside à política e à economia de uma porção da humanidade; manifesta-se também no amor do dinheiro, cujas devastações se amplificam à medida dos empreendimentos modernos, e que, infelizmente, comanda tantas determinações que pesam sobre a vida dos povos; traduz-se pelo culto do corpo, pela procura excessiva do conforto e pela fuga de toda austeridade de vida; induz ao desprezo da vida humana, daquela, mesmo, que é destruída antes de ver a luz; está na demanda desenfreada do prazer, que se ostenta sem pudor e que mesmo, pelas leituras e pelos espetáculos, tenta seduzir almas ainda puras; está na indiferença para com seu irmão, no egoísmo que o esmaga, na injustiça que o priva dos seus direitos, numa palavra, nessa concepção da vida que regula tudo em vista somente da prosperidade material e das satisfações terrenas.

“Minha alma, dizia um rico, tens quantidade de bens em reserva por longo tempo; repousa, come, bebe, leva vida regalada. Mas Deus lhe diz: Insensato, esta noite mesmo vão te pedir a tua alma” (Lc 12, 19-20).

quarta-feira, 30 de julho de 2014

As lições espirituais das aparições – 1. S.S. Pio XII

O Papa Pio XII no dia de sua coroação.
O Papa Pio XII no dia de sua coroação.
12. Essas lições, eco fiel da mensagem evangélica, fazem ressaltar de maneira impressionante o contraste que opõe os juízos de Deus à vã sabedoria deste mundo.

Numa sociedade que não tem lá muita consciência dos males que a corroem, numa sociedade que vela as suas misérias e as suas injustiças sob aparências prósperas, brilhantes e descuidosas, a Virgem imaculada, por quem o pecado jamais roçara, manifesta-se à uma menina inocente.

Com compaixão maternal percorre com o olhar este mundo redimido pelo sangue de seu Filho, onde, infelizmente, o pecado faz cada dia tantas devastações, e por três vezes lança o seu apelo premente: “Penitência, penitência, penitência!”

Gestos expressivos são, mesmo, pedidos: “Ide beijar a terra em penitência pelos pecadores”. E ao gesto há que juntar a súplica: “Rogareis a Deus pelos pecadores”.

Tal como no tempo de João Batista, tal como no início do ministério de Jesus, a mesma injunção, forte e rigorosa, dita aos homens a trilha da volta a Deus: “Arrependei-vos” (Mt 3, 2; 4, 17). E quem ousaria dizer que esse apelo à conversão do coração perdeu, nos nossos dias, a sua atualidade?

quarta-feira, 23 de julho de 2014

S.S. Pio XII: Lourdes e a Santa Sé

Tiara: tríplice coroa dos Papas
6. Estes cem anos de culto mariano teceram, ademais, entre a Sé de Pedro e o santuário pirenaico laços estreitos, que nos apraz reconhecer. A própria virgem Maria não desejou essas aproximações?

“O que em Roma, pelo seu magistério infalível, o sumo pontífice definia, a Virgem Imaculada Mãe de Deus, a bendita entre as mulheres, quis, ao que parece, confïrmá-lo por sua boca, quando pouco depois se manifestou por uma célebre aparição na gruta de Massabielle”.(5)

Certamente, a palavra infalível do pontífice romano, intérprete autêntico da verdade revelada, não necessitava de nenhuma confirmação celeste para se impor à fé dos fiéis.

Mas com que emoção e com que gratidão o povo cristão e seus pastores não recolheram dos lábios de Bernadete essa resposta vinda do céu: “Eu sou a Imaculada Conceição”!

7. Por isso, não é de admirar que os nossos predecessores se hajam comprazido em multiplicar os seus favores para com esse santuário.

Desde 1860, Pio IX, de santa memória, regozijava-se de que os obstáculos suscitados contra Lourdes pela malícia dos homens houvessem permitido “manifestar com mais força e mais evidência a clareza do fato”.(6)

quarta-feira, 9 de julho de 2014

S.S. Pio XII: Nossa Senhora na história da França

S.S. Papa Pio XII
2. Toda terra cristã é uma terra marial, e não há povo redimido pelo sangue de Cristo que não goste de proclamar Maria sua mãe e sua padroeira.

Relevo empolgante assume, todavia, esta verdade quando se evoca a história da França.

O culto da Mãe de Deus remonta às origens da sua evangelização, e, entre os mais antigos santuários marianos, Chartres ainda atrai os peregrinos em grande número, e milhares de jovens.

A Idade Média, que, notadamente com São Bernardo, cantou a glória de Maria e lhe celebrou os mistérios, viu a admirável eflorescência das vossas catedrais dedicadas a Nossa Senhora: Le Puy, Reims, Amiens, Paris e tantas outras...

Essa glória da Imaculada anunciam-na elas de longe pelas suas flechas esbeltas, fazem-na resplandecer na pura luz dos seus vitrais e na harmoniosa beleza das suas estátuas; atestam elas sobretudo a fé de um povo a se alçar acima de si mesmo num surto magnífico, para erguer no céu da França a homenagem permanente da sua piedade mariana.

quarta-feira, 25 de junho de 2014

Uma pátina celeste cobre Lourdes


Gregorio Vivanco Lopes

Naquele 2 de março de 1858, na gruta da Massabielle, Nossa Senhora disse à jovem Bernadette Soubirous, ajoelhada a seus pés: “Que venham aqui em procissão”.

Tais palavras simples pareciam significar um desejo vago, uma aspiração momentânea. No entanto, elas estavam dotadas de uma potência insuspeitada, porque ditas pela Mãe de Deus.

O pedido ecoou por toda a Terra e atraiu para Lourdes multidões pressurosas vindas de todos os continentes, dos vales e dos montes, das geleiras e das regiões tórridas, das ilhas mais afastadas, dos recantos mais ignorados.

Outrora Nosso Senhor disse a um morto, sepultado havia quatro dias: “Lázaro, vem para fora!” (Jo, 11, 43).

E ele veio, por força da palavra divina. Da mesma forma o chamado de Nossa Senhora – mera criatura, mas apoiada na força divina de seu Filho – produziu o milagre estupendo de atrair multidões incessantes e crescentes.

quarta-feira, 11 de junho de 2014

Valor e importância de levar o nome de Lourdes

Procissão de padres dominicanos em Lourdes
Procissão de padres dominicanos em Lourdes
Muitas mulheres levam o nome de Lourdes. Muitas chamam Maria de Lourdes, e nem sabem bem o que é Lourdes.

Alguém tal vez explicou que é uma gruta onde Nossa Senhora apareceu, onde curas, etc., etc.

Podem ter certa noção desses fatos, mas não tinha deitado a atenção desses fatos. E vivem com esse nome como um menininho que vai, por exemplo, ao Colégio São Luís e não sabe quem foi São Luís.

Outras vezes foi a mãe que deu esse nome e elas estão à vontade porque foi a mãe que deu. Mas não sabem mais nada. Nunca pensaram o que significa o nome Lourdes.

E quando ficam sabendo tomam uma boa surpresa. Lourdes é isso? Mas, por que é que não me falaram antes?

É, aliás, um lindo presente para fazer: contar para Da. Lourdes o que significa o nome de Lourdes!

Muitas vezes essa explicação chega num momento de aflição da hipotética Da. Lourdes. E então a consolação é muito maior.

E o agradecimento também.

Mas, é só isso?

quarta-feira, 28 de maio de 2014

Médico irlandês conta suas experiências com os milagres de Lourdes

Dr Michael Moran, médico do Comité Internacional de Lourdes
Dr Michael Moran, médico do Comitê Internacional de Lourdes
Luis Dufaur


O Dr. Michael Moran foi a Lourdes como voluntário há 17 anos, mas não imaginava que viria a formar parte de uma equipe pequena, mas seleta, que avalia as curas apresentadas pelos fieis como milagrosas no Santuário de Lourdes.

O Dr. Michael é cirurgião e o primeiro médico irlandês a fazer parte do painel de médicos que julga segundo a ciência as curas surpreendentes.

Ele é católico da Irlanda do Norte e foi entrevistado pela “BBC News Northern Ireland”.

Ele diz que a nomeação foi uma surpresa. “Eu tinha sido voluntário em Lourdes durante anos e mantinha os contatos normais que qualquer médico pode ter com o Bureau Médico”, explicou.

O painel do Comitê Médico Internacional de Lourdes é composto por 40 médicos do mundo inteiro, especialistas em diversos campos da medicina, com diferentes folhas de serviço e treino. Ele funciona como uma espécie de segunda instância médica que revisa e aprova ou não, as decisões do Bureau Medical, espécie de primeira instância para julgar os milagres alegados em Lourdes.

Sua função é decidir se à luz da ciência médica se explica ou não a cura que as pessoas afirmam ter experimentado em Lourdes.

“É mais do que tudo um comitê científico. Portanto nós não somos desse tipo de gente que vai dizendo que é um milagre. Isso é a Igreja que deve decidir”, explica o médico.

“Acredito que o mais importante é que os membros do Comitê Internacional têm que pôr suas crenças de lado, sejam eles favoráveis ou não a Lourdes, acreditem ou não que é um local onde acontecem milagres e curas.

“O Comitê está verdadeiramente organizado como um grupo de profissionais que trabalha com as mais exigentes provas médicas e pode pedir ainda mais provas para fundamentar o que a pessoa está dizendo”.

O Comitê Médico Internacional de Lourdes se reúne anualmente, mas as decisões podem demorar anos. Os julgamentos dos médicos – e a consequente proclamação do milagre pela autoridade eclesiástica – não saem assim às pressas como se fossem decisões políticas, e não científicas e religiosas.

Dr Michael Moran, médico do Comité Internacional de Lourdes Na entrada do Santuário.
Dr Michael Moran, médico do Comité Internacional de Lourdes Na entrada do Santuário.
“Por causa da necessidade do longo período de tempo estritamente definido pela Igreja para se ter certeza de que houve uma cura, ano após ano nós discutimos casos que na verdade não vão mudar muito e ficamos aguardando que passe a margem de tempo prefixada enquanto encomendamos novos exames ou testes se necessário”.

Desde 1858, por volta de 7.000 curas passaram por este exigente crivo e foram declaradas inexplicáveis pela ciência, embora só 69 tenham sido canonicamente declaradas milagres pelos bispos responsáveis. “Esses são casos dos quais temos provas médicas absolutamente certas e que nós não podemos negar”, acrescentou.

“O caso mais recente foi o de uma mulher que tinha uma pressão sanguínea extremamente alta e um tumor na glândula adrenal que secretava adrenalina e mantinha sua pressão em nível muito alto, mas subitamente ela passou a sentir-se bem. [LEIA A HISTÓRIA COMPLETA CLICANDO AQUI: O mais recente milagre reconhecido em Lourdes]

“Isso é característico: você sente subitamente que aconteceu algo diferente, ela percebeu quando estava tomando banho em Lourdes nos anos 1980 e o processo de reconhecimento do milagre só foi completado em 2011."

O Dr. Michael contou que o primeiro milagre que ele acompanhou foi o de um doente com um braço paralisado que recuperou o movimento subitamente.

“Outro exemplo típico foi a de um homem que veio da Itália e tinha um tumor na pélvis, e você podia ver a destruição do osso pélvico nas chapas de raios X que estão disponíveis para o público ver em Lourdes, mas o osso voltou a crescer, seja na pélvis e no fêmur, de um modo anatomicamente correto e que é muito difícil de explicar”, contou.

Mas, para o Dr. Michael, os milagres são apenas o “topo do iceberg” em Lourdes.

“Antes de tudo é um local onde as pessoas podem vir em tempo de férias, quando talvez já estejam em estado terminal e encontram uma paz que não se encontra em nenhum outro lugar”.

Perguntaram a ele se não haveria a possibilidade de as pessoas que vão a Lourdes serem objeto de algum efeito subjetivo, e não de uma verdadeira cura.

“Do ponto de vista do Comitê, respondeu, o que nós estamos fazendo é ver se o caso se explica ou não pela medicina; também há casos que acontecem em outros lugares que tampouco podem ser explicados.

“Nosso papel é discutir os fatos que se deram aqui num momento preciso com gente que realmente acredita que estão relacionados com uma experiência espiritual”, respondeu.

Também foi observado que há pessoas para quem a religião e a ciência dificilmente podem andar lado a lado.

“Eu me sinto bastante feliz, respondeu, vendo que as duas atitudes têm um papel para desempenhar aqui. Eu sei que não todos os cientistas ou médicos acreditam, mas eu certamente vi pessoas dessas que tiveram uma grande consolação espiritual em Lourdes.

“Eu mesmo tive uma impressionante experiência, que não posso descrever apropriadamente, porque este é um local cheio de paz, onde o doente de fato ocupa o primeiro lugar e onde você fica impactado vendo que se os hospitais de Belfast e do mundo todo fossem assim a toda hora, então o mundo seria um lugar melhor”.

E o que dizem seus amigos e parentes de seu papel aqui em Lourdes?

“Eu geralmente não falo para eles. Não me envergonho disso nem de nada. Pessoalmente, para mim é tal honra e uma tão grande tarefa, que não é o tipo de serviço de que você vai se pavonear”, concluiu.


Acompanhe online o que está acontecendo agora na própria gruta de Lourdes pela Webcam do santuário. 

quarta-feira, 14 de maio de 2014

Fala-se de qualquer tipo de cura.
Por que não se fala mais das curas de Lourdes?

Doentes em carrinhos indo e vindo da Gruta
Doentes em carrinhos indo e vindo da Gruta

O leitor por certo terá ouvido de conhecidos, amigos ou parentes, terá visto em revistas, jornais, na propaganda, na Internet ou na TV dicas para curar esta ou aquela doença, ou simplesmente para preveni-las.

Fala-se de tudo: além de remédios maravilhosos, recomenda-se tratamentos fitoterápicos, homeopáticos, aromáticos, acupuntura, chás e infusões de toda espécie.

E sem falarmos das dicas dietéticas: comer isto ou aquilo em tais condições, e ainda muitas outras dentro do que parece razoável

Mas também viraram ultra comuns, as “terapias” que saem do razoável e entram pela superstição adentro: Nova Era, terapia pelas vidas passadas, pelas pirâmides, Tarô, yoga, meditação oriental, etc.

E não falamos dos recursos aos poderes das trevas, como espiritismo, macumba e outros, em que o pai da mentira é rei.

quarta-feira, 30 de abril de 2014

Milagres de Lourdes: Jeanne Fretel (1948) após 10 anos de hospital e 7 cirurgias sem resultado

Luis Dufaur
Escritor, jornalista,
conferencista de
política internacional,
sócio do IPCO,
webmaster de
diversos blogs




Jeanne Fretel, nascida a 27 de maio de 1914 na Bretanha, teve uma infância sofrida: rubéola, escarlatina, difteria etc.

Em janeiro de 1938, quando tinha vinte e quatro anos, é operada de apendicite no Hôtel-Dieu em Rennes. Depois disto, passará dez anos no hospital, praticamente sem interrupções.

Primeiro tem que operar um quisto tuberculoso nos ovários, depois, uma peritonite tuberculosa, logo seguida por uma fístula estercoral.

É somente no fim da guerra que sai do hospital, porém aparece uma erisipela, em seguida um hallux valgus bilateral, finalmente uma osteíte do maxilar superior, que não lhe deixou mais do que três dentes na arcada superior e seis na inferior.

A 3 de dezembro de 1946 ingressou no hospital de Pontchaillou, em Rennes. Desta feita, diz ela, é “para morrer lá”.

Está sempre acamada e todas as noites a febre atinge os 39° 5. Tem o abdômen inchado, distendido, terrivelmente dolorido: faz-se necessária uma aplicação diária de seis centigramas de morfina.

Apesar de um prolongado tratamento de estreptomicina, cuja descoberta era recente, o estado de Jeanne Fretel não apresenta melhoras, segundo o demonstra este atestado médico redigido pelo Dr. Pellé:

“De agosto de 1948 a outubro de 1948, a enferma mostra-se cada vez mais cansada: só consegue ingerir pequenas quantidades de líquido. Surgem sinais meningíticos. Um deles é o ventre, volumoso e dolorido. Há um escoamento abundante de pus com as fezes, bem como nos vômitos, acompanhado de sangue negro. Os desfalecimentos cardíacos são freqüentes e colocam em perigo a vida da paciente. Toda esperança parece estar perdida.”

quarta-feira, 2 de abril de 2014

Lendo as cartas de Santa Bernadette Soubirous – 2

Manuscritos de Santa Bernadette

Continuacao do post anterior

Percebendo a mão de Deus que castiga

Bernadette via com olhos sobrenaturais os acontecimentos de sua época.

Assim, por exemplo, em 1870, durante a guerra franco-prussiana, quando os alemães já estavam próximos de Nevers — e, portanto, ameaçavam a própria segurança das irmãs —, estando já a comunidade inteira a serviço dos feridos, Santa Bernadette escreve à sua irmã Maria:

“Não temos senão uma coisa a fazer: é pedir muito à Santíssima Virgem, a fim de que Ela queira interceder por nós junto de seu querido Filho, e nos obter perdão e misericórdia; tenho a doce confiança de que a Justiça de Deus que nos castiga neste momento será então aplacada por essa terna Mãe” (Carta à sua irmã Maria, de 25 de dezembro de 1870, p.70).

quarta-feira, 19 de março de 2014

Lendo as cartas de Santa Bernadette Soubirous – 1

Manuscrito de Santa Bernadette com um exercício gramatical
Manuscrito de Santa Bernadette com um exercício gramatical

Maria Bernarda, ou Bernadette nasceu em Lourdes, nos contrafortes dos Pirineus franceses, no dia 7 de janeiro de 1844.

Seus pais eram patrões de moinho e tinham tido certa abastança, mas que, por sua facilidade em perdoar as dívidas, acabaram caindo na miséria.

A vida de Bernadette resume-se em praticar o que lhe recomendou a Santíssima Virgem: rezar, especialmente o Rosário, e fazer penitência pelos pecadores.

Por isso, tendo entrado posteriormente no convento das Irmãs da Caridade de Nevers, sua oração frequente era:
“Ó Jesus! Ó Maria! Fazei que todo meu consolo neste mundo consista em amar-vos e sofrer pelos pecadores.

“Que eu mesma seja um crucifixo vivente, transformada em Jesus. [...] Tenho que ser vítima [...] Levarei com valentia e generosidade a cruz oculta em meu coração. Minha ocupação é sofrer”.(1)
Analfabeta até os 14 anos, em sua humildade ela se considerava pouco inteligente e capaz. Por isso dizia:

quarta-feira, 26 de fevereiro de 2014

Santa Bernadete e o méritos do abandono

Santa Bernadete Soubirous que recebeu as revelações de Lourdes era de uma família honrada, mas das mais modestas da pequena cidade de Lourdes.

Lourdes tem um bonito nome mas era ignorada de quase todo o mundo até na própria França, onde ela não era senão uma aldeota aos pés de um velho castelo.

Talvez por desígnio de Deus, nas muralhas daquele castelo se deu um dos primeiros confrontos com os mouros que tinham invadindo a França.

No fim, os mouros acabaram se convertendo e adotando Nossa Senhora da Penha como sua Senhora.

Pela impressão que deixam as fotografias que Santa Bernadete tirou antes de ser freira, ela era uma mocinha camponesa típica, com a expressão do olhar muito viva, com muita firmeza de ideias e de princípios na sua atitude.

Ela era uma pessoa quase iletrada e que não era capaz, portanto, de articular correntemente um princípio e o apresentar a quem quer que seja.

quarta-feira, 12 de fevereiro de 2014

Ação de graças e engajamento com Nossa Senhora de Lourdes

Lourdes contém um eloquente apelo de Nossa Senhora a seus filhos, para que se aliem e empreendam sob o manto d’Ela essa grande batalha já engajada, a qual há de culminar com o triunfo final predito em Fátima.

Enunciara-o o Prof. Plinio Corrêa de Oliveira nas páginas de Catolicismo, por ocasião do centenário das aparições.

Ele escreveu que Lourdes é para o mundo inteiro o primeiro marco do ressurgimento contra-revolucionário:

“Há um anseio imenso por outra coisa, que ainda não se sabe qual é.

“Mas, enfim –– fato talvez novo desde que começou, no século XV, o declínio da civilização cristã –– o mundo inteiro geme nas trevas e na dor, precisamente como o filho pródigo quando chegou ao último da vergonha e da miséria, longe do lar paterno. [...]

Veja vídeo
Ação de graças a
Nossa Senhora de Lourdes
“Têm fim as misericórdias de uma Mãe, e da melhor das mães?

“Quem ousaria afirmá-lo? Se alguém duvidasse, Lourdes lhe serviria de admirável lição de confiança. Nossa Senhora [...] já começou a nos socorrer. [...]

“Os dias do domínio da impiedade estão contados. A definição do dogma da Imaculada Conceição marcou o início de uma sucessão de fatos que conduzirá ao Reinado de Maria”.

terça-feira, 11 de fevereiro de 2014

Nossa Senhora de Lourdes e a harmonia das classes sociais

Nossa Senhora se apresenta muito à nossa admiração em Lourdes.

Ela apareceu dizendo que é a Imaculada Conceição.

Quer dizer, uma criatura que está numa condição inteiramente superior a todas as outras criaturas.

Porque Nosssa Senhora foi concebida sem pecado original e gozando de uma predileção toda especial de Deus.

De outro lado, Ela aparece praticando milagres dos mais estupendos, numa continuidade e numa importância sem igual história da Igreja.

E isto é porque Ela quer.

Então, Ela se apresenta muito à nossa admiração.

Mas, de outro lado, Ela se apresenta muito ao nosso amor pela sua caridade, pela sua bondade, pelo interesse pela nossa salvação eterna.

segunda-feira, 10 de fevereiro de 2014

Um olhar brasileiro na festa de Nossa Senhora de Lourdes

Só Santa Bernadette viu, ouviu e falou com Nossa Senhora.

Porém, as multidões, acorrendo à gruta, vendo-a e imitando-lhe os gestos de piedade, tinham uma certeza inabalável da realidade das aparições.

Por assim dizer, os fiéis “viam” Nossa Senhora em Santa Bernadette, e experimentavam sua influência indizivelmente benéfica ao imitarem seus gestos.

A partir de então, Nossa Senhora continuou a exercer em Lourdes essa misteriosa ação de presença sobre os que lá vão rezar.

Essa ação misteriosa da graça constitui talvez o maior milagre daquele privilegiado lugar onde o Céu osculou a Terra que é Lourdes.

domingo, 9 de fevereiro de 2014

Aspectos pouco falados de Santa Bernadette

Santa Bernadette tinha muitos ditos engraçados como: “Se quiserem saber tanto sobre Nossa Senhora, tratem de ver que Ela apareça”.

A superiora dela várias vezes burilou, poliu e, no fim, ela deixou.

Mas ela tinha uma nota de comicidade e de polemismo que às vezes chegava até o pontiagudo e que indica seu temperamento borbulhante.

Nossa Senhora escolheu-a porque era ela a mais ignorante de Lourdes.

Ela era uma boa menina, mas não era uma santa antes das revelações.

Nossa Senhora a escolheu, porque um dos argumentos para confirmar as revelações era a ignorância dela.

Ela era uma camponesa tão ignorante que não podia saber as coisas que ela dizia, e não tinha o alcance de espírito de toda a atitude que ela mantinha.

A ignorância dela é um dos aspectos apologéticos de Lourdes.

Santa Bernadette era muito baixinha, viva, mas passava facilmente desapercebida.

Com o tempo e a doença ela foi definhando e acabou sendo uma pessoa que, fisicamente falando, era ínfima.

sábado, 8 de fevereiro de 2014

Lourdes: Nossa Senhora às vezes cura, em geral não cura, mas sempre mostra que é Mãe

Doentes rumo à Gruta

Os acontecimentos de Lourdes são ricos em ensinamentos para nós, e um desses ensinamentos é a respeito do sofrimento.

Nós vemos em Lourdes duas atitudes da Providência diante do sofrimento humano. E estas duas atitudes têm sua razão de ser , dentro da perfeição dos planos divinos apesar de parecerem até contraditórias.

De um lado, o que mais chama atenção em Lourdes é Nossa Senhora que tem pena do sofrimento dos homens, atende aos rogos deles e pratica milagres para os livrar das dores que eles sofrem.

É, por outro lado, Nossa Senhora que tem também pena das almas, e para provar que a Fé Católica é verdadeira, pratica milagres para operar conversões.

Mas, de outro lado, nós vemos em Lourdes outro aspecto.

E são os inúmeros doentes que vão a Lourdes, e voltam sem ter sido curados.

Por quê razão Nossa Senhora opera a cura de uns e não opera a cura de outros?

Qual é o mistério?

Porque é muito fácil a gente compreender que alguns sejam curados. Mas, qual é o mistério pelo qual outros não são curados?

Nisso também Nossa Senhora nos dá um grande ensinamento.

Porque Ela mostra, pela bondade dEla em Lourdes, que Ela é nossa Mãe, que Ela tem pena de nós, que Ela quer e pode praticar maravilhas por nós, e Ela as pratica.

E, entretanto, a maior parte dos doentes que vão lá voltam sem ter sido curados.

Qual é então a razão de ser disto?

Qual é a razão mais profunda desse fato?

Eu creio que é um dos mais estupendos milagres de Lourdes.

sexta-feira, 7 de fevereiro de 2014

Santa Bernadete, espelho de Nossa Senhora

Santa Bernadette fazendo o Sinal da Cruz
Na sua vida, Santa Bernadette Soubirous teve vários traços importantes, um dos quais foi o olhar dela e, depois, sua atitude durante as visões.

Ela converteu inúmeras pessoas durante as visões por causa do Sinal da Cruz.

Ela aprendeu a fazer o Sinal da Cruz com Nossa Senhora e tomou com isto um amor à cruz de Cristo.

Por isso, algo da unção de Nossa Senhora passava por ela quando fazia o Sinal da Cruz.

A vida inteira foi para todos uma edificação ver como ela fazia o Sinal da Cruz, que tantas vezes a gente faz sem dar importância.

Porque durante as revelações as pessoas percebiam que ela estava em contato com um fator que elas não viam. Mas, as pessoas notavam que ela estava sofrendo uma ação que vinha de fora dela.

Quando começava a visão, ela se transfigurava; e ela, que era uma simples camponesa, tornava-se de uma majestade que impressionava todo mundo.

quinta-feira, 6 de fevereiro de 2014

Ensinamento de Lourdes: coragem, resolução, energia e compreensão do significado do sofrimento


Procissão das velas em Lourdes

Os acontecimentos de Lourdes são ricos em ensinamentos para nós, e um desses ensinamentos é a respeito do sofrimento.

De um lado, Nossa Senhora tem pena do sofrimento dos homens, atende os rogos deles e pratica milagres para livrá-los das dores.

Além do mais, Nossa Senhora que tem pena das almas, para provar que a Fé Católica é verdadeira, pratica milagres para operar conversões.

Nisso Nossa Senhora nos dá um grande ensinamento.

quarta-feira, 5 de fevereiro de 2014

Obediência e sobranceria em Santa Bernadette

Quando foi chamada pela polícia, Santa Bernadette se portou com um desassombro e uma naturalidade extraordinários.

Entretanto, em relação às pessoas respeitáveis, aos pais, ao vigário e à superiora religiosa, era um modelo de respeito e obediência.

Aí está bem o espírito de verdadeira católica, da verdadeira santa, que não liga para as pompas deste mundo; que não dá importância a ser tida em grande ou pequena conta e que por causa disso calca tudo aos pés.

Portanto, se desse importância a ser tida em grande conta, já ficava calcada aos pés por todo mundo.

Porque se dou importância a que me aplaudam, acabo não tendo liberdade de me mover a não ser na medida em que aplaudirem. Eu danço conforme tocam.

Para eu ter sobranceria, é preciso não ligar para o mundo. Gostou? Gostou. Não gostou? Gostasse. Eu sou assim e faço assim porque cumpro meu dever, porque a Santa Igreja Católica manda.

terça-feira, 4 de fevereiro de 2014

Oração a Nossa Senhora de Lourdes

 
Ó Minha Senhora e minha Mãe, Vós manifestastes em Lourdes a grandeza de vosso poder e a imensidade de vossa bondade e por isso todos os homens vão a Vós e Vós os curais.

Fazei-me compreender, minha Mãe, que, no sentido espiritual, toda a Igreja Católica é uma Lourdes. Que ali Vós vos manifestais aos homens, e os curais.

Quantas enfermidades levo na minha alma mesmo dentro da Santa Igreja para a qual me chamastes tão misericordiosamente!

E, entretanto, vós que sois a Imaculada Conceição, já vais me curando e a todos os que a Vós imploram com o coração contrito e humilhado.

Concedei-me a graça que vos peço (fazer o pedido).