sexta-feira, 12 de dezembro de 2008

Mais cinco curas inexplicáveis constatadas pela medicina em Lourdes


Em 1º de dezembro, o Comitê Médico Internacional de Lourdes (CMIL) a mais alta instância médica que analisa as curas inexplicáveis em Lourdes, deu a conhecer mais cinco fatos remarcáveis e não explicáveis pela medicina, verificados no santuário. Os beneficiados têm entre 40 e 69 anos.

A senhora B. (o relatório resguarda a privacidade das pessoas), 53 anos, em junho de 2004 foi pela sexta vez a Lourdes em cadeira de rodas.

Meditando a passagem evangélica da mulher que sarou tocando na franja da túnica de Nosso Senhor Jesus Cristo, realizou que ela nunca pedira sua cura em Lourdes, e que isso não concordava com o exemplo do Novo Testamento.

Decidiu, então, pedir a graça. E eis que sem nada sentir, pura e simplesmente levantou-se e começou a caminhar, trabalhar e mexer-se em todos os sentidos.

Essa cura imediata foi a reposta de Deus à oração feita por meio da intercessão de Nossa Senhora de Lourdes.

A senhora P. de 47 anos de idade sofria invalidez quase total, resultante de um acidente de carro. Ela não acreditava muito quando foi a Lourdes.

Na hora da voltar para casa lavou-se com água da fonte. No dia seguinte, ao acordar já não tinha mais dor alguma, estava curada!

A medicina constata os fatos. Só os bispos diocesanos podem reconhecê-los canonicamente como milagres e propô-los enquanto tais aos fiéis.


Desejaria receber gratis as próximas atualizações de 'Lourdes 150º aniversário das aparições' no meu Email

domingo, 28 de setembro de 2008

No Vietnam, Nossa Senhora de Lourdes é a alma dos católicos que defendem sua paróquia do confisco e da violência socialista

Em Lourdes, o Cardeal Ivan Dias, falando como legado do Papa, disse que “a Virgem está tecendo uma rede de filhos e filhas espirituais, para lançar uma forte ofensiva contra as forças do maligno para encarcerá-lo e assim preparar a vitória final de seu Divino Filho Jesus Cristo”.

E algo disso, muito digno de nota, está acontecendo no longínquo Vietnam.

Em Hanói, capital do país, a ditadura marxista quer demolir a paróquia de Thai Há, dos padres redentoristas.

Então, milhares de fiéis estão se revezando hoje, dia e noite, em vigília de orações para impedir a profanação. Rezam aos pés de Nossa Senhora das Graças.

São milhares na procissão das velas até a reprodução da gruta de Nossa Senhora de Lourdes do lado de fora da igreja paroquial. Adoram a Santa Cruz.

Católicos acorrem de outras cidades, inclusive dezenas de sacerdotes e vários bispos para se unirem nos atos religiosos.

O regime socialista ameaça pesado. Soldados, milicianos e policiais com cães tentam intimidar. A mídia estrondeia contra os fiéis e o arcebispo.

O diretor da Segurança Pública de Hanói ameaçou o diocesano. Mas o bispo de Thai Binh, Dom Francis Nguyen Van Sang respondeu com a declaração “Quem pega na espada, morrerá pela espada”.

Forás da repressão anti-cristãO comunismo intimidado reúne gangues de “bandidos” ‒ grupos de 500, na realidade das juventudes e associações de “movimentos sociais” subsidiados pelo governo ‒ e os joga contra os fiéis que rezam pacificamente.

Eles ferem até anciãos e crianças. Destruiram imagens de Nosssa Senhora e espezinharam a Santa Cruz. Mas os católicos não arredam. No último atentado os presentes correram até a catedral, tocaram os sinos, e os "bandidos" teleguiados pela polícia socialista fugiram vendo a multidão de católicos que acorria ao local.

Em setembro, há poucos dias, mais de dez mil católicos, numeroso clero e fiéis, foram em procissão até o prédio da Nunciatura que estava sendo demolido pelo governo. Pararam diante dos bloqueios policiais de arame farpado, ergueram um altar e rezaram a Missa. Foi a maior manifestação desde que, em 1954, os comunistas vêm oprimindo o Vietnam.

A esperança do regime anti-cristão está num falso “diálogo” e numa inexistente “distensão” com a Santa Sé. Trata-se de um engano. Os católicos vietnamitas estão experimentando as más conseqüências.

A seguir há um vídeo dos acontecimentos. Gostaríamos de traduzi-lo para o português, porém não entendemos o vietnamita. Entretanto, as imagens falam por si.

Assistindo a este vídeo, rezemos por esses nossos irmãos na Fé e na devoção a Nossa Senhora de Lourdes. Que Ela, que tanto lhes sorri, lhes dê forças para levar até o fim sua luta e instale a paz, i. é, o reinado social de Jesus Cristo naquele martirizado país.



Nossa Senhora de Lourdes, rogai por eles, por todos nós, pelo Vietnam, pelo Brasil, pela Santa Igreja!


Desejaria receber gratis as próximas atualizações de 'Lourdes 150º aniversário das aparições' no meu Email

sábado, 26 de julho de 2008

Entrevista ao reitor do santuário de Lourdes (fim)

Lourdes, procissão das velas, fundo santuário
Catolicismo — Para muitos peregrinos, o Reitor do Santuário está imerso num ambiente de milagres e de graças extraordinárias no seu dia-a-dia, pois tal é o cotidiano de Lourdes. O que pensar a respeito?
Pe. Zambelli — É verdade que o Reitor de Lourdes se banha constantemente num clima de oração, de fé e de grande fervor. É uma graça que manifesta a vitalidade da vida cristã no coração de tantos homens e mulheres. É também uma exigência para ser mais fiel à nossa missão e corresponder cada vez mais à nossa vocação de servir o Evangelho e a Igreja.

Catolicismo — Como informou V. Revma., vem aumentando o número de fiéis peregrinos, devido ao ano do Jubileu. Na qualidade de Reitor do Santuário, como é possível acolher essa imensa multidão de peregrinos?
Pe. Zambelli — Não é da responsabilidade do Santuário de Lourdes organizar a intendência relativa ao acolhimento dos milhões de peregrinos. Isso incumbe aos donos de hotéis da cidade, com os quais trabalhamos em harmonia. No que nos toca, estamos organizados para que todos os grupos sejam bem recebidos no Santuário neste Ano Jubilar. Tendo em vista a excepcional afluência, muitas celebrações litúrgicas deste ano serão realizadas ao ar livre.

Catolicismo — Muitos brasileiros gostariam de vir em peregrinação a Lourdes neste ano. Para aqueles que estão impossibilitados de empreender tal viagem, o que V. Revma. aconselharia? E para os que se dispõem a vir, que recomendações lhes daria?
Pe. Zambelli — Para todos os cristãos do mundo inteiro que não poderão viajar a Lourdes, por múltiplas razões pessoais ou materiais, é sempre possível unirem-se espiritualmente a este acontecimento do Jubileu pela oração invocando Nossa Senhora de Lourdes, em particular pela recitação do Rosário feita diante de uma reprodução da Gruta ou de uma imagem da Imaculada. Eles podem igualmente, graças aos meios de comunicação, acompanhar os acontecimentos que se desenrolam ao longo do ano jubilar no Santuário de Lourdes. Podem, por fim, recitar a oração do Jubileu ou a novena preparatória.

Catolicismo — O Cardeal Ivan Dias, Legado de Bento XVI, na homilia de abertura do Ano Jubilar, em 8 de dezembro de 2007, disse que Nossa Senhora está tecendo uma rede de filhos e de filhas para encetar uma batalha final contra o Maligno, para a vitória de Jesus Cristo. O que sugere essa frase especialmente?
Lourdes, procissão das velas, fundo de tela do santuárioPe. Zambelli — Todos já vimos, no início de um concerto, os músicos afinarem seus instrumentos. Esse gesto é absolutamente necessário, pois se executará mal uma sonata de Bach num violino mal afinado, ou um prelúdio de Chopin num piano desafinado. Do mesmo modo, um maestro sempre se assegura, antes do recital, de que cada um dos membros do coro esteja bem afinado, segundo o tom de seu registro. Em música, cumpre portanto afinar sempre os instrumentos e ajustar as vozes.
Este exemplo é de molde a nos fazer compreender melhor uma das missões da Virgem Maria. Toda sua vida foi dedicada ao pensamento de Deus e à procura de sua vontade, tornando-se a única criatura para a qual nós podemos nos voltar para reencontrar a harmonia daquilo que somos no cotidiano e o que Deus espera de nós. Tendo sua vida sido perfeitamente una, não existe nela nenhuma dissonância, nenhuma nota falsa, tudo ressoa de acordo com o som muito puro do Evangelho. É como eu compreendo seu reiterado apelo à “penitência”, quando de suas aparições em Lourdes. Sua insistência para que nos convertamos não é senão o eco fiel da pregação de São João Batista. Jesus não disse outra coisa quando começou sua missão: “Convertei-vos e crede na Boa Nova” (Mc 1,15).
Cumpre entretanto reconhecer que a maioria de nossos contemporâneos é alérgica a este apelo, porque a palavra “penitência” soa estranhamente a seus ouvidos. Eles ouvem “penitência” e traduzem: ascese, mortificação, austeridade, sacrifício. Ora, a Virgem Maria, em Lourdes, não empregou nenhuma dessas palavras. Se Ela escolheu a palavra “penitência”, é em razão de sua ressonância eminentemente evangélica. Perguntei-me então se haveria outra palavra que pudesse traduzir, sem o trair, o vocábulo “penitência”. Parece-me que “coerência” convém bem. Com efeito, o apelo à penitência é de fato um apelo à coerência. Em Lourdes, a Virgem Maria nos pede ter uma vida coerente com a nossa consciência, coerente com o nosso batismo, coerente com a nossa fé, coerente com o Evangelho.

Catolicismo — Na sua opinião, quais seriam os frutos mais importantes deste Ano Jubilar de Lourdes?
Pe. Zambelli — Espero que, por ocasião deste Ano Jubilar das Aparições da Virgem em Lourdes, cada um redescubra a atualidade de sua mensagem e de suas exigências espirituais, em razão da ressonância profundamente evangélica das palavras da Virgem Maria, e que este acontecimento eclesial produza frutos duráveis de santidade.


Acompanhe online o que está acontecendo agora na própria gruta de Lourdes pela Webcam do santuário. 


quinta-feira, 3 de julho de 2008

Reitor do Santuário de Lourdes concede entrevista para revista católica brasileira


Embora muito absorvido por intensa atividade neste Ano Jubilar de Lourdes, o Pe. Raymond Zambelli gentilmente concedeu oportuna entrevista à revista de cultura católica Catolicismo. O Pe. Zambelli nasceu em Trouville-sur-Mer, em 2 de junho de 1943, na região onde viveu Santa Teresinha do Menino Jesus –– Calvados, na Normandia (França). Após completar o seminário menor e o maior em Caen e Bayeux respectivamente, foi ordenado em 1967 na basílica de Santa Teresinha, em Lisieux. Tendo exercido diversas atividades pastorais e aprofundado seus estudos, em 1986 tornou-se capelão do Santuário de Lisieux. Desde 1992 até dezembro de 2001, foi reitor do mesmo santuário, tão conhecido pelos católicos do mundo inteiro. Escreveu vários livros sobre Santa Teresinha, entre os quais destacamos: Prier avec Thérèse de Lisieux; Lisieux parle de Thérèse; e Thérèse nous parle. Em 5 de maio de 2003, foi nomeado para o importante cargo de Reitor do famoso Santuário de Lourdes.

* * *

Catolicismo — Quando os peregrinos chegam ao Santuário de Lourdes, encontram uma organização calma, transparente, discreta, mas muito eficaz. Ninguém imagina a amplitude das ocupações e o trabalho que isso representa para o Reitor e seus colaboradores. V. Revma. poderia nos dizer uma palavra sobre essa tarefa, pelo menos em suas linhas gerais?

Pe. Zambelli — Quando se acolhe a cada ano mais de seis milhões de peregrinos vindos do mundo inteiro, é necessário que o Santuário esteja muito bem organizado. Deste ponto de vista, o Santuário de Lourdes adquiriu grande experiência e goza de boa reputação. Mais de 430 funcionários trabalham no Santuário, sem contar os padres, religiosos e religiosas, com os quais esse total ascende a 500 pessoas. Há, portanto, muitos serviços especializados na organização, gestão, contabilidade, comunicação, planificação dos grupos e recepção dos doentes. É claro que todas essas atividades são ligadas à vida pastoral e litúrgica do Santuário.

O Reitor é, pois, encarregado de coordenar todos os serviços, harmonizá-los, fazê-los trabalhar juntos, conservando constantemente o objetivo primordial do Santuário de Lourdes: a recepção dos peregrinos e a difusão fiel da Mensagem da Virgem. O Reitor é o representante permanente do Bispo de Tarbes e de Lourdes, o qual é o primeiro e último responsável pelo Santuário.
Catolicismo — O secretariado de V. Revma. impressionou-me pela simplicidade e acessibilidade. Nele colaboram também inúmeros voluntários — médicos, enfermeiras, padioleiros e outros — que trabalham no anonimato e desinteressadamente. Como são organizados? Que sentimentos os inspiram? Quantos são? De onde vêm?

Pe. Zambelli — O Santuário de Lourdes conta com mais de 200 mil voluntários especialmente dedicados ao serviço dos doentes. Esses voluntários pertencem à Hospitalidade Nossa Senhora de Lourdes, ou fazem parte das hospitalidades diocesanas ou de grandes organismos, tais como a U.N.I.T.A.L.S.I. ou o O.P.T.A.L., no que diz respeito à Itália. Eles vêm do mundo inteiro e consagram generosamente seu tempo ao serviço dos doentes e do Santuário ao longo de todo o ano.
Catolicismo — As comemorações do sesquicentenário de Lourdes aumentaram suas atividades? No quê?

Pe. Zambelli — Vimos nos preparando há dois anos para este Ano Jubilar do Sesquicentenário das Aparições da Virgem Maria a Bernadette. Comunicamo-nos muito, por todos os meios que a mídia nos oferece hoje. O povo de Deus correspondeu, pois constatamos no momento um aumento de mais de 60% no número dos peregrinos em relação ao ano anterior, o que nos faz prever uma freqüência da ordem de nove a dez milhões de peregrinos até o fim do Ano Jubilar.

Catolicismo — Quais são os sentimentos que mais o encorajam na sua missão?

Pe. Zambelli — É certamente uma graça ter sido escolhido para esta missão eclesiástica universal. Estou muito consciente disso, e peço todos os dias ao Espírito Santo conceder-me as luzes necessárias e a força suficiente para cumprir esta missão tão importante, com a ajuda da Virgem Maria e de Santa Bernadette.


Desejaria receber gratis as próximas atualizações de 'Lourdes 150º aniversário das aparições' no meu Email

quinta-feira, 29 de maio de 2008

IMAGEM DE NOSSA SENHORA DE LOURDES JOGADA NO RIO PELOS COMUNISTAS REAPARECE NO CAMBOJA


Oito pescadores cambojanos encontraram uma imagem de Nossa Senhora de Lourdes que tinha sido jogada no rio Mekong há 33 anos. A imagem mede 1,50 metros e pesa 160 quilos, informou o diário vaticano L'Osservatore Romano. A profanação ocorreu durante o genocídio perpetrado pela ditadura socialista de obediência chinesa.

Segundo o L’Osservatore Romano, os pescadores não souberam avaliar a importância religiosa da descoberta e venderam a imagem por poucas moedas.

Mas os católicos que sobreviveram ao extermínio comunista logo intuiram o valor do providencial achado e ficaram com ela a troca de sete sacas de arroz.

Eles a doaram à paróquia de Areaksat, conhecida como Nossa Senhora da Paz. Os paroquianos organizaram uma procissão solene para entronizar a imagem da Virgem de Lourdes. A população a tem renomeado Nossa Senhora do Mekong.

Todo dia neste mes de Maio, grande número de pessoas tem se dirigido até ela e depositado flores a seus pés. As informações foram distribuídas pela agência Catholic News.

É sugestivo que a maravilhosa recuperação tenha acontecido no 150º aniversário das aparições de Nossa Senhora.

Até no longinquo e tão sofrido Camboja, Nossa Senhora de Lourdes faz milagres....


Acompanhe online o que está acontecendo agora na própria gruta de Lourdes pela Webcam do santuário. 


terça-feira, 8 de abril de 2008

Texto completo do Decreto da Penitenciaria Apostólica

PENITENCIARIA APOSTÓLICA

DECRETO

Com o qual é concedida a Indulgência plenária no 150º aniversário das aparições da Bem-Aventurada Virgem Maria em Lourdes

Por ocasião do 150º aniversário da manifestação da Bem-Aventurada Virgem Maria na Gruta de Massabielle, perto de Lourdes, será diariamente concedida a Indulgência Plenária aos fiéis que, do dia 8 de Dezembro de 2007 ao dia 8 de Dezembro de 2008, visitarem, piedosamente e segundo as condições estabelecidas, a Gruta de Massabielle e, de 2 a 11 de Fevereiro de 2008, visitarem, em qualquer templo, oratório, gruta ou lugar decoroso, a imagem benzida da Bem-Aventurada Virgem Maria de Lourdes solenemente exposta à veneração pública.

Foi com admirável conexão que a omnipotência e a bondade infinita de Deus uniu a missão providencial de Maria Mãe de Nosso Senhor Jesus Cristo e, consequentemente, Mãe do seu Corpo Místico, que é a Igreja, e a obra salvífica da própria Igreja.

Assim o Beato Guerrico, abade, associa a protecção que os fiéis, confiadamente, esperam de Maria sua Mãe e o ministério universal de salvação da Igreja Católica: "A santa Mãe de Cristo, reconhecendo-Se mãe dos cristãos no plano do mistério, tem para com eles todas as solicitudes e amor próprios de uma mãe (...). Também os cristãos A reconhecem como mãe e, movidos pelo seu afecto natural de filhos, n'Ela se refugiam em todas as necessidades e perigos, invocando com grande confiança o seu nome como crianças nos braços da própria mãe" (Disc. 1, na Assunção da Bem-aventurada Virgem Maria).

Também a Constituição Dogmática Lumen Gentium do Concílio Vaticano II exalta a missão, que podemos chamar conjunta, da Bem-aventurada Virgem Maria e da Igreja Católica: "Pois Maria, que entrou intimamente na história da salvação e, por assim dizer, reúne em Si e reflecte os imperativos mais altos da nossa fé, ao ser exaltada e venerada, atrai os fiéis ao Filho, ao seu sacrifício e ao amor do Pai. Por sua parte, a Igreja, procurando a glória de Cristo, torna-se mais semelhante Àquela que é seu tipo e sublime figura, progredindo continuamente na fé, na esperança e na caridade, e buscando e fazendo em tudo a vontade divina" (n. 65).

A história da Igreja e memoráveis testemunhos do culto mariano manifestam e recomendam, frequentemente e com evidente clareza, um tal modo de agir da Providência Divina aos fiéis, a fim de aumentar a sua devoção.

Pois bem, está para completar-se o sesquicentenário daquele dia em que Maria Santíssima, revelando-Se à jovem Bernadete Soubirous como a Imaculada Conceição, quis que fosse erigido e sagrado, no lugar chamado "Massabielle" da cidade de Lourdes, um santuário, tesouro de graça; e uma tal efeméride evoca a série inumerável de prodígios, com que a vida sobrenatural das almas e a própria saúde dos corpos beneficiaram da bondade omnipotente de Deus; neste desígnio da Providência Divina, por intercessão da Beatíssima Virgem Maria, demonstra-se sobejamente que o fim integral do homem é o bem da pessoa inteira, aqui na terra e sobretudo na eternidade da salvação.

Desde as origens do santuário de Lourdes, os fiéis compreenderam que a Bem-aventurada Virgem Maria amabilissimamente deseja, através do ministério da Igreja Católica, prover à referida salvação integral dos homens naquele lugar.

Com efeito os fiéis, ao mesmo tempo que veneram a Bem-aventurada Virgem Maria no lugar "que os seus pés tocaram", alimentam-se dos Sacramentos sagrados, tomam o firme propósito de levar dali em diante uma vida cristã de crescente fidelidade, sentem avivado o sentido da Igreja, e tudo fazem guiados por argumentos validíssimos. Aliás, no decurso dos tempos, a própria conexão de maravilhosos acontecimentos deixa entrever a intervenção conjunta da Bem-aventurada Virgem Maria e da Igreja. De facto, no ano de 1854, foi definido o dogma da Imaculada Conceição da Virgem Maria e, em 1858, Maria Santíssima manifestou-Se, com inefável doçura materna, à piedosa Bernadete Soubirous, utilizando as palavras da definição dogmática "Eu sou a Imaculada Conceição".

A fim de que brotem desta religiosa comemoração frutos mais abundantes de renovada santidade, o Sumo Pontífice Bento XVI decidiu conceder amplamente o dom da Indulgência Plenária, nos termos seguintes:

Todos e cada um dos fiéis verdadeiramente arrependidos, devidamente purificados através do sacramento da Confissão, alimentados pela Sagrada Comunhão e, por fim, que ofereçam devotamente orações segundo a intenção do Sumo Pontífice, poderão diariamente lucrar a Indulgência Plenária, aplicável também, sob a forma de sufrágio, pelas almas dos fiéis no Purgatório:

A. Se, do dia 8 do mês de Dezembro de 2007 até ao final do dia 8 do mesmo mês do próximo ano de 2008, visitarem devotamente, seguindo preferivelmente a ordem indicada: 1. o baptistério paroquial onde teve lugar o baptismo de Bernadete; 2. a casa chamada "cachot", da família Soubirous; 3. a Gruta de Massabielle; 4. a capela do hospício, onde Bernadete recebeu a Primeira Comunhão, e aí se detiverem, de cada vez, por um côngruo espaço de tempo recolhidos em piedosa meditação, concluindo com a reza do Pai-Nosso, a Profissão de Fé em qualquer uma das suas formas legítimas, e a oração jubilar ou outra invocação mariana.

B. Se, do dia 2 de Fevereiro de 2008, Festa da Apresentação do Senhor, até ao final do dia 11 de Fevereiro de 2008, memória litúrgica de Nossa Senhora de Lourdes e sesquicentenário da Aparição, visitarem devotamente, em qualquer templo, oratório, gruta ou lugar decoroso, a imagem benzida da Santíssima Virgem de Lourdes solenemente exposta à veneração pública e, diante da mesma imagem, participarem num piedoso acto de devoção mariana ou, pelo menos, se aí se detiverem por um côngruo espaço de tempo recolhidos em piedosa meditação, concluindo com a reza do Pai-Nosso, a Profissão de Fé em qualquer uma das suas formas legítimas e a invocação da Bem-aventurada Virgem Maria.

C. Os idosos, os enfermos e todos aqueles que estiverem impossibilitados por causa legítima de sair de casa, poderão igualmente lucrar a Indulgência Plenária, na própria casa ou no lugar onde o impedimento os detém, se, formulando a aversão a qualquer pecado e a intenção de cumprir logo que possível as três condições habituais, nos dias 2 a 11 de Fevereiro de 2008 realizarem espiritualmente, com o desejo do coração, uma visita (aos lugares acima indicados), rezarem as orações atrás referidas e oferecerem confiadamente a Deus, por meio de Maria, as doenças e as dificuldades da sua vida.

E, a fim de que os fiéis possam participar mais facilmente destes favores celestiais, os sacerdotes, aprovados pela autoridade eclesiástica competente para ouvir de confissão, para tal se disponibilizem com ânimo pronto e generoso e dirijam solenemente a reza de orações públicas à Imaculada Virgem Mãe de Deus.

Não obstante qualquer outra disposição em contrário.

Roma, sede da Penitenciaria Apostólica, 21 de Novembro de 2007, Apresentação da Virgem Santa Maria.

James Francis Card. STAFFORD Penitenciário-Mor

Gianfranco GIROTTI, O.F.M.Conv. Bispo Titular de Meta, Regente

Fonte: http://www.vatican.va/roman_curia/tribunals/apost_penit/documents/rc_trib_appen_doc_20071121_decreto-lourdes_po.html


Desejaria receber gratis as próximas atualizações de 'Lourdes 150º aniversário das aparições' no meu Email

segunda-feira, 7 de abril de 2008

O que é uma Indulgência? Como ganhá-la?


1 - Indulgência é a remissão, diante de Deus, da pena temporal devida pelos pecados já perdoados quanto à culpa, que o fiel, devidamente disposto e em certas e determinadas condições, alcança por meio da Igreja, a qual, como dispensadora da redenção, distribui e aplica, com autoridade, o tesouro das satisfações de Cristo e dos santos.

2 - indulgência é parcial ou plenária, conforme liberta em parte ou no todo, da pena temporal devida pelos pecados.

3 - Ninguém pode lucrar indulgências a favor de outras pessoas vivas.

4 - Qualquer fiel pode lucrar indulgências parciais ou plenárias para si mesmo ou aplicá-las aos defuntos, como sufrágio.

5 - O fiel que, ao menos com o coração contrito, faz uma obra enriquecida de indulgência parcial, com o auxílio da Igreja alcança o perdão da pena temporal, em valor correspondente ao que ele próprio já ganha com sua ação.

6 - O fiel cristão que usa objetos de piedade (crucifixo ou cruz, rosário, escapulário, medalha) devidamente abençoados por qualquer sacerdote ou diácono, ganha indulgência parcial.

Se os mesmos objetos forem bentos pelo Sumo Pontífice ou por qualquer bispo, o fiel, ao usá-los com piedade, pode alcançar até a indulgência plenária na solenidade dos Santos Apóstolos Pedro e Paulo, se acrescentar alguma fórmula legítima de profissão de fé.

7 - Para que alguém seja capaz de lucrar indulgências, deve ser batizado, não estar excomungado e encontrar-se em estado de graça, pelo menos no fim das obras prescritas.

O fiel deve também ter intenção, ao menos geral, de ganhar a indulgência, e cumprir as ações prescritas, no tempo determinado e no modo devido, segundo o teor da concessão.

8 - A indulgência plenária só se pode ganhar uma vez ao dia. Contudo, o fiel em artigo de morte pode ganhá-la, mesmo que já a tenha conseguido nesse dia.

A indulgência parcial pode ganhar-se mais vezes ao dia, se expressamente não se determinar o contrário.

9 - A obra prescrita para alcançar a indulgência plenária anexa a uma igreja ou oratório é a visita aos mesmos. Neles se recitam a oração dominical e o símbolo dos apóstolos (Pai Nosso e Credo), a não ser caso especial em que se marque outra coisa.

10 - Para lucrar a indulgência plenária, além da repulsa de todo o afeto a qualquer pecado até venial, requerem-se a execução da obra enriquecida da indulgência e o cumprimento das três condições seguintes: confissão sacramental, comunhão eucarística e oração nas intenções do Sumo Pontífice.

Com uma só confissão podem ganhar-se várias indulgências, mas com uma só comunhão e uma só oração alcança-se uma só indulgência plenária.

As três condições podem cumprir-se em vários dias, antes ou depois da execução da obra prescrita. Convém, contudo, que tal comunhão e tal oração se pratiquem no próprio dia da obra prescrita.

Se falta a devida disposição, ou se a obra prescrita e as três condições não se cumprem, a indulgência será só parcial, salvo o que se prescreve nos nn. 27 e 28 em favor dos ‘impedidos’.

A condição de se rezar nas intenções do Sumo Pontífice se cumpre ao se recitar nessas intenções um Pai Nosso e uma Ave Maria, mas podem os fiéis acrescentar outras orações, conforme sua piedade e devoção.

11 - Concede-se indulgência parcial ao fiel que, no cumprimento de seus deveres e na tolerância das aflições da vida, ergue o espírito a Deus com humildade e confiança, acrescentando alguma piedosa invocação, mesmo só em pensamento.






“Manual das Indulgências”, editado pela Penitenciária Apostólica em 29 de junho de 1968 - Edições Paulinas, São Paulo, 1990




Acompanhe online o que está acontecendo agora na própria gruta de Lourdes pela Webcam do santuário.